quarta-feira, 19 de julho de 2017

BLITZ no agreste meridional são questionadas e criticadas por prefeitos e secretários

BLITZ no agreste meridional são questionadas e criticadas por prefeitos e secretários


O alto índice de Blitz que estão sendo realizadas nas cidades do agreste meridional pernambucano, principalmente em Garanhuns e nas cidades circunvizinhas estão causando indignação em gestores e secretários.

Nesta quarta-feira (19) o prefeito de Lajedo, Rossine Blemany (PSB), divulgou para toda a imprensa uma nota de repúdio, onde crítica o excesso de blitezes que estão ocorrendo. Comportamento semelhante teve o secretário municipal de Caetés, Wando Pontes, que também nesta quarta-feira 19, criticou a ação, depois de uma blitz realizada em Caetés.

Rossine Blesmany


NOTA DE REPÚDIO ÀS OPERAÇÕES DO DETRAN

“Num período de grave crise financeira como a que estamos vivendo no Brasil, depois de tantos anos sofrendo com a seca e o desemprego, é MUITO TRISTE ver pais e mães de família de nossa querida Lajedo terem seu carro ou moto apreendidos pelo DETRAN, pelo fato de não terem conseguido dinheiro para pagar o IPVA. Pelo que tenho escutado, a maioria dos carros e motos apreendidos são de pessoas pobres que só tinham aquele meio de transporte e que muitas vezes esse veículo ou moto era a única fonte de renda para sustentar sua família. O povo sofrido do interior não pode ser tratado dessa forma. Com todo respeito às leis de trânsito que existem no Brasil, eu acho que o governo só deveria usar seus agentes para prender veículos de pessoas pobres depois que tivesse prendido todos os carros e motos dos assaltantes, traficantes, estupradores e desordeiros, e também depois que tivesse recuperado todos os milhares de veículos que constantemente são roubados dos cidadãos de bem. Falo aqui também em nome de funcionários ou agregados da prefeitura que tenham sido vítimas da incompreensão dos agentes do DETRAN. Como um político que sempre esteve do lado do povo, venho registrar meu repúdio à essas operações do DETRAN e fazer um apelo ao nosso Governador para que não tome do povo pobre de nossa cidade o único patrimônio, meio de transporte ou meio de vida que eles têm”.

Wando Pontes

“Eu sei que as pessoas devem andar com tudo legalizado, mas não é possível numa região dessas, que sofreu sete anos com a seca, fazer um trabalho puramente repressivo, sem uma orientação anterior e sem flexibilizar de maneira nenhuma. O próprio Supremo Tribunal Federal decidiu que não se pode apreender veículo por atraso no pagamento do documento. Acho que o governo devia repensar o modo como está agindo"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com responsabilidades, não ofenda e nem acuse a quaisquer cidadão. afinal o blog, o blog é de vocês.