terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Desorganização e calor marcam lançamento da candidatura de Paulo Câmara

DESORGANIZAÇÃO MARCA LANÇAMENTO DA CANDIDATURA DE PAULO CÂMARA

Teresa Maia/DP/D.A Press

DO BLOG DO JAMILDO - Para mostrar a união do partido, o PSB esqueceu de dois itens essenciais no evento organizado nesta segunda-feira (24) para anunciar oficialmente os nomes da chapa majoritária: organização e respeito com os presentes. Num auditório apinhado de representantes de várias legendas da Frente Popular, o calor ultrapassava os limites toleráveis. Por causa do mormaço, um homem passou mal e precisou ser retirado às pressas de dentro do salão.

Mais de 500 pessoas compartilhavam um espaço que cabia pouco mais de 200 participantes. Resultado: todos saíram encharcados de suor. Do lado de fora, muitas pessoas sequer conseguiam entrar no auditório, estavam incluídos no grupo a primeira-dama e os filhos do governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

Para a imprensa, o trabalho também foi árduo. Faltou área para cinegrafistas, espaço para repórteres e estrutura para ouvir os discursos. Era preciso se espremer entre os presentes para conseguir acompanhar os pronunciamentos.

Em entrevista ao fim do evento, o deputado federal Raul Henry, candidato a vice-governador da Frente Popular, lembrou que o encontro do PSB-Rede, em Porto Alegre, no último sábado, reuniu mais de mil pessoas e o público pode acompanhar o evento pelo telão.
Estrutura semelhante, infelizmente, não se repetiu em Pernambuco.

MAGNO MARTINS – Faltou emoção - Candidato do PSB a governador, o secretário da Fazenda, Paulo Câmara, passou com dificuldades hoje no seu primeiro teste de fogo. Para quem nunca enfrentou um desafio gigantesco que se apresenta como este, seu discurso não foi precário, mas poderia ter sido bem melhor.
Faltou, convenhamos, assessoria. A impressão é que o candidato não foi previamente treinado e preparado. Se não tinha a devida segurança, o melhor para Câmara teria sido a leitura de um discurso na sua inteireza, rico, com frases de efeito, feito para emocionar. Mas preferiram jogá-lo na fogueira.
Resultado: a fala improvisada e não preparada cuidadosamente não mexeu com os corações da plateia. O improviso, aliás, acabou sendo a tônica do evento. O local só veio ficar pronto faltando poucos minutos para o anúncio. A cobertura jornalística ficou prejudicada pela invasão literal ao auditório por parte de aliados do governador, políticos em geral e penetras.
JOSUÉ NOGUEIRA – DIÁRIO DE PERNAMBUCO -A oficialização da chapa majoritária da Frente Popular, nesta segunda-feira, foi uma prova quase de fogo para o PSB e seus aliados. Os registros de Teresa Maia e Alcione Ferreira, do Diário, revelam que os que foram ao hotel onde ocorreu o ato – profissionais de imprensa inclusive – viveram momentos de sauna forçada.
Se era para demonstrar o empenho e a energia em torno do projeto eleitoral, a dose foi bem alta. O calor observado no local provocou desconforto generalizado. O saldo foi o que se vê nas imagens.
Ânimo acompanhado de suor, muito suor. Não se pode dizer que se tratou de um evento morno. Foi quentíssimo. Mas bem acima do razoável.
Alcione Ferreira/DP/D.A Press
Alcione Ferreira/DP/D.A Press
Teresa Maia/DP/D.A Press
Foto: BlogImagem
Foto: Clemilson Campos/JC Imagem

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com responsabilidades, não ofenda e nem acuse a quaisquer cidadão. afinal o blog, o blog é de vocês.